XP Expert 2019 – Paulo Guedes

XP Expert 2019

O Ministro da Economia Sr. Paulo Guedes fala sobre o que considera o grande problema estrutural do Brasil: a questão dos gastos públicos, historicamente muito elevado e que foi aumentando ao longo do tempo. Assista à palestra na íntegra. Paulo Guedes é simplesmente excepcional. Todos os brasileiros tem obrigação de assistir.

Não seremos mais 200 milhões de trouxas!

 

Video: ExpertXP2019-Paulo Guedes

#PauloGuedes

#ExpertXP2019

Um forte abraço, deixe seus comentários e até o próximo post.

 


Curtiu este Post?

Compartilhe com seus amigos:

 

A maior crise financeira

A maior crise financeira global

O fim do ciclo ou o ciclo do fim?

A maior crise financeira global está por vir.

Trazendo conteúdos relevantes para você investidor e empreendedor, selecionei esta importante palestra mostrada em vídeo através do link abaixo.

O respeitado palestrante Fernando Ulrich, economista com experiência no mercado global e mestre em economia da Escola Austríaca, aborda a influência dos Bancos Centrais nos ciclos econômicos, bem como alguns sintomas e consequências das politicas monetárias adotadas desde a crise de 2008.

 

Vídeo: A maior crise financeira global está por vir – Fernando Ulrich

Palestra na VI Conferência de Escola Austríaca do Instituto Mises Brasil proferida no dia 11 de maio de 2019.

 



 

Espero você no próximo post.

Grande abraço e ótimo investimentos.


 

Siga Brique Easy:

Facebook: https://www.facebook.com/briqueeasy/

Instagram: https://www.instagram.com/briqueeasy/

 


Gostou? Compartilhe com seus amigos:

Construindo sua Carteira de Investimentos

 

Olá amigo do blog Brique Easy.

Agora você vai aprender o que é uma carteira de investimentos e como deve monta-la.

 

  • Carteira de Investimentos

A carteira de investimentos é o conjunto de aplicações, também conhecida como portfólio ou cesta de investimentos, que reúne todos os ativos financeiros onde seu dinheiro foi aplicado.

 

  • Composição da Carteira

A composição de uma carteira de investimentos vai variar de pessoa a pessoa, pois cada um tem perfil e objetivos diferentes, portanto não é sensato dizer que uma carteira será ideal para uma pessoa, se não estiver de acordo com seu perfil e objetivo.

Certamente como um bom investidor, tenha em mente que a construção da sua carteira de investimentos visará a redução dos riscos, proteção do seu patrimônio, aumento do potencial de ganhos e estratégia de crescimento.

 

  • Definir o seu objetivo

A primeira coisa que você deve fazer é definir o seu objetivo. Portanto, escreva em suas anotações este objetivo de forma clara e direta.

Você quer investir para realizar um sonho, como comprar uma casa, um carro ou realizar uma viagem especial,  ou ainda para ter a sua independência financeira, criar a sua aposentadoria ou outro objetivo qualquer? Defina isto.

Esta definição é importante pois ajudará você a manter o foco em seus investimentos e na rentabilidade da sua carteira.

 

  • Ter um Planejamento financeiro

Você precisa traçar o seu planejamento financeiro, saber  qual é a sua renda mensal, quanto gasta, quais são as despesas fixas e extraordinárias ao longo dos meses ou anos, eliminar as dívidas e qual será o valor minimo de aporte mensal para os seus investimentos.

Este planejamento ajudará na montagem da sua estratégia de investimento.

 

  • Entender o seu perfil

Como já comentei antes, no post “Perfil do Investidor“, você primeiramente precisa definir  e entender o seu perfil para mapear os tipos de investimentos mais adequados para você. Assim você terá uma carteira personalizada e equilibrada, com os ativos ideais para o seu perfil e objetivo.

 

  • Definir a sua estratégia

Definir a sua estratégia é fundamental para o sucesso da sua carteira.

Você terá que observar os quatro pilares da sua carteira: Objetivo, Prazo, Capital e Risco.

Sendo então:

Objetivo: É a finalidade do investimento.

Prazo: O tempo em que o dinheiro ficará investido.

Risco: O perfil do investidor definirá o nível de risco dos ativos da carteira.

Capital: É o montante a ser investido.

 

Para montar a sua estratégia, você deve:

 

  • Definir o Perfil da sua Carteira

Com a definição do seu perfil de investidor, você automaticamente define o perfil da sua carteira. Assim você pode então descartar vários produtos que não correspondem a este perfil.

 

  • Definir a exposição aos riscos

A exposição da sua carteira aos riscos pode ser definida de acordo com o seu perfil, prazo e objetivo.

Quanto maior o prazo, maior poderá ser a exposição ao risco, até um certo limite de proteção de capital, definido na sua estratégia.

Isto porque você terá mais tempo para se recuperar caso alguma aplicação não dê o retorno esperado.

Para objetivos de médio a longo prazo, você pode definir a exposição da sua carteira até o limite de 30 a 40%.

Esta exposição aumentará as possibilidades do aumento de capital e caso ocorra eventuais perdas, você terá tempo de recuperação sem comprometer o restante do capital da sua carteira.

 

  • Realizar a composição da Carteira

A sua carteira de investimentos pode ser constituída de bens ou direitos. Os ativos tangíveis mais comuns são os imóveis e os intangíveis são os títulos mobiliários ações de empresas, fundos de investimentos, títulos públicos, etc.

 

  • Fazer a seleção de Produtos

Uma boa estratégia é a diversificação dos ativos que irão compor a sua carteira. Considerando isto, agora basta selecionar cada ativo de acordo com a porcentagem estabelecida dentro da carteira, comparando custo, rentabilidade, prazo, risco, etc.

 

  • Não confunda Diversificação com Pulverização

Procure diversificar a sua carteira por setores da economia aos quais os ativos pertencem e dentro destes setores por ativos diferentes. Não deposite todos seus ovos numa unica cesta.

Mas não exagere. Não é a quantidade  de ativos que irá garantir a boa performance da sua carteira, e sim a qualidade destes ativos.

 

  • Revisão da sua Carteira

Não se esqueça de realizar uma revisão da sua carteira, no mínimo uma vez por ano, afim de avaliar se os resultados obtidos estão de acordo com o esperado.

Caso não esteja, é o momento de realizar mudanças nos ativos e reavaliar a exposição da sua carteira.

 

  • Lembre-se

A sua carteira de investimentos deve refletir a sua situação e as suas perspectivas. Uma boa carteira não pode causar nem ansiedade nem desconforto para você.

 

Um forte abraço e bons investimentos.

 


Leia também:

Investir com segurança

Abrir conta em uma corretora

Investir através de corretora ou banco?

Perfil do Investidor

Investindo em Fundos de Investimentos Imobiliários (FIIs)


 

Se você tem alguma dúvida ou quer saber mais sobre este ou outro assunto, envie uma mensagem para mim logo abaixo.

 

Curtiu este post? Compartilhe com um amigo.

Investir com segurança

 

Oi amigo do Blog Brique Easy. Estou feliz em poder compartilhar com você mais este post.

Existem certas Garantias e Segurança no mercado financeiro que trazem tranquilidade para os investidores, principalmente aqueles com perfil conservador.

Vou mostrar a seguir alguns deles.

 

  • FGC – Fundo Garantidor de Crédito 

O FGC é uma entidade sem fins lucrativos e não governamental que tem como objetivo manter a organização e a estabilidade do sistema financeiro nacional. É formado por associação das instituições financeiras e oferece aos investidores e correntistas uma proteção do capital investido até o limite de 250 mil Reais por CNPJ, limitado a  1 milhão de Reais por CPF.

 

Quem participa do FGC?

Fazem parte deste fundo os bancos, corretoras, associações de poupança, companhias hipotecárias, sociedades de crédito, instituições de financiamentos e investimentos.

 

Como funciona o FGC?

Para você investidor, o FGC é uma garantia de proteção ao seu dinheiro investido, estando protegido dos riscos externos. Caso a instituição financeira que você fez aplicações declarar falência, você consegue recuperar o seu dinheiro até o limite estabelecido.

Portanto, se você tiver mais de uma aplicação na mesma instituição, a garantia de cobertura será válida para a soma destas aplicações e não para cada uma delas.

 

Quais são as aplicações que estão cobertas pelo FGC?

O FGC cobre as aplicações de títulos disponíveis nos bancos e corretoras, como a poupança, CDBs, LCAs, LCIs e LCs.

 

Quais são as aplicações que não estão cobertas pelo FGC?

Os títulos de créditos privados como CRA (Certificados de Recebíveis do Agronegócio), CRI (Certificados de Recebíveis Imobiliário) e Debêntures, não são cobertos pelo FGC.

 

Como acontece o ressarcimento do seu dinheiro?

Acontece quando o Banco Central realiza intervenção ou liquidação da instituição financeira em que você aplicou seu dinheiro. São emitidos documentos, como o Termo de Concessão de Crédito, para que seu dinheiro seja depositado.

 

  • Aplicações com Garantia de Segurança

Algumas aplicações embora não sejam cobertas pelo FGC, possuem garantia e segurança, como é o caso do Tesouro Direto, que são os títulos do Tesouro Nacional , que possuem  a garantia e segurança do Governo Federal, que é o órgão máximo, e da Letra Financeira (LF), que depende da solidez das instituições financeiras emissoras.

 

É comum as pessoas acreditarem que estão investindo com segurança colocando seu dinheiro na poupança, mas na verdade elas estão apenas guardando o dinheiro, visto que a rentabilidade da poupança é muito baixa. Existem outras maneiras de garantir um bom rendimento do seu dinheiro com baixo risco e acredite, poupança é coisa do passado.

 

  • Investindo com Segurança

Se você é um poupador, que está acostumado com a comodidade e baixo risco da poupança, e pensou em investir seu dinheiro de forma segura, sem correr riscos, verá então que vale mais a pena investir no Tesouro Direto ou em CDB, que possuem rentabilidade mais atrativas que a poupança.

 

Como você pode ver, se o seu perfil é conservador e você está iniciando a sua jornada no mundo dos investimentos, escolha bem onde aplicar o seu dinheiro, avaliando os fatores de risco, as garantias envolvidas e a rentabilidade.

 

Mais uma coisa importante, não se esqueça de avançar na sua educação financeira. Procure sempre informações de qualidade que possam ajudar na sua escalada…Um abraço e bons investimentos.

 


Leia Também:


 

 

Gostou deste post? Compartilhe com um amigo:

Quais os tipos de Debêntures?

Olá amigo do blog Brique Easy. Aprenda quais os tipos de debêntures e faça o investimento certo.

 

Uma debênture pode ser classificada em dois tipos, quanto ao seu registro: Debêntures nominativas e Debêntures escriturais.

  • As Debentures nominativas são emitidas em nome do investidor inicial. Tanto o registro quanto o controle de transferências da debênture é feito em livro próprio da companhia emissora.
  • As Debentures Escriturais também possuem seu registro e controle de transferências feitos pela companhia, mas o título em si é guardado em uma conta de custódia no nome do investidor por meio de uma instituição financeira, geralmente uma corretora de valores.

 

Quanto a forma de pagamento dos juros, as debentures são classificadas em Debêntures conversíveis, Debêntures simples e Debentures permutáveis.

  • As Debêntures conversíveis podem ser convertidas em ações da própria companhia ao final do período estabelecido no título ou em algum outro prazo estabelecido pela companhia.
  • As Debêntures simples não possui o benefício da conversão em ações, servindo apenas ao propósito de financiamento da empresa emissora.
  • As Debêntures permutáveis são semelhantes as debêntures conversíveis, mas com a diferença de que podem ser convertidas em ações de outra companhia, não necessariamente da companhia emissora da debênture.

 

Quanto ao rendimento, as Debêntures podem ser de três tipos: Debêntures pós-fixadas, Debêntures pré-fixadas e Debêntures hibridas.

  • As Debêntures pós-fixadas tem seu rendimento atrelado a algum tipo de indicador, normalmente o CDI ou a taxa Selic. Por serem pós-fixados, o debenturista não sabe exatamente o quanto a debênture irá render, pois vai depender de como estará o indicador no vencimento do titulo.
  • As Debêntures pré-fixadas tem seu rendimento acordado no momento da emissão do titulo. Por serem pré-fixadas, o debenturista saberá exatamente o quanto a debênture irá render.
  • As Debêntures hibridas são ao mesmo tempo pós e pré-fixadas. Sendo mais comum que tenham uma taxa pré-fixada mais a correção por um indicador pós-fixado, como o IPCA.

 

Um forte abraço, até o próximo post e bons investimentos.

 


Veja também:

 


Deixe seus comentários.

Lembrou de alguém que precisa ler este post? Compartilhe.

O que é uma Debênture?

Olá amigo do blog Brique Easy. O que é uma debênture? Quer saber? Eu vou lhe dizer…

 

Debênture é um título de crédito privado ao portador que representa uma dívida, a juros, garantida pelo patrimônio do emitente, sendo um obrigação ao portador.

Em outras palavras, uma debenture nada mais é que um título de dívida de uma empresa privada. Quem investe em uma debênture se torna um credor da empresa que emitiu o título, financiando suas operações em troca do pagamento de juros sobre o valor do título.

 

As debêntures são aplicações de renda fixa. Da mesma forma que podemos investir em títulos públicos como o Tesouro Direto, emprestando dinheiro para o governo e recebendo juros sobre este empréstimo, podemos investir em títulos do setor privado, que são as debentures, sendo um empréstimo
para uma empresa privada e recebendo juros sobre este empréstimo.

 

As empresas emitem debêntures no mercado de capitais a fim de captar recursos de terceiros para garantir dinheiro em caixa ou financiar os seus projetos e crescimento de suas operações.

 

Os debenturistas são credores da empresa e recebem juros periódicos e pagamento do montante principal, no vencimento do titulo ou mediante amortizações nas quais se paga parte do montante antes do vencimento, conforme estipulado no contrato chamado Escritura de Emissão, onde são especificados os direitos e deveres do debenturista e da emissora.

 

Espero você no próximo post.

Continue aprendendo com nossos posts no blog Brique Easy e bons investimentos.

Um forte abraço.

 


Veja também:


 

Compartilhe.

Como escolher um fundo imobiliário (FIIs)

Olá amigo do blog Brique Easy. Se você se interessou por investimento em fundos imobiliários, não deixe de ler este e os outros posts sobre este tema.

 

Existe uma grande diversidade de FIIs no mercado disponíveis para você investir. Escolher o fundo certo, nem sempre é tão fácil, mas se você tiver paciência e estudar bem cada um deles, com certeza fará boas escolhas.

 

Você vai ter que analisar os ativos envolvidos no fundo, números e históricos de rentabilidade, verificar a solidez dos seus fundamentos e concluir se a gestão deste fundo é realmente boa. Parece trabalhoso, mas com um pouco de paciência e dedicação você vai ver que não é um bicho de sete cabeças.

 

Os indicadores mais importantes para avaliação de um Fundo de Investimento Imobiliário (FII) são:

  • Distribuições de rendimentos ( DY – Dividend Yeld).
  • Preço / Valor Patrimonial (P/VP).
  • Valor Patrimonial / Valor de mercado.
  • Segmento (Tijolo, papel, fofs, hibrido).
  • Liquidez.
  • Representação no IFIX.
  • Variação da cota.
  • Quantidade de ativos.
  • Vencimento dos contratos envolvidos no fundo.
  • Tipo de gestão (ativa ou passiva).
  • Fator gerador de renda.

 

O fator gerador de renda de um FII está ligado com seu segmento e pode ser os seguintes elementos:

  • Aluguel de imóveis – O rendimento é gerado através do aluguel do imóvel ou imóveis que compõem o fundo.
  • Arrendamento de imóveis – A remuneração para o fundo vem através do contrato de arrendamento do imóvel deste fundo.
  • Construção de imóveis – Os recursos de captação do fundo servirão para incorporação e construção dos imóveis para futura venda e remuneração.
  • Aquisição de títulos de renda fixa – tipico dos fundos de papéis, sendo através de aquisições de títulos e papéis atrelados ao mercado imobiliário, como LCIs e CRIs, gerando retornos mensais através dos juros.
  • Aquisição de cotas de outros fundos imobiliários – conhecidos como FOFs, os fundos de fundos, são fundos imobiliários que adquirem cotas de outros fundos imobiliários. Remuneram com o montante mensal gerado por esta carteira de fundos.

 

Aprenda mais sobre Fundos Imobiliários acompanhando nosso blog sobre investimentos.

Assista o canal do Prof. Baroni no youtube para aprender mais sobre fundos imobiliários.

e acesse também o site FIIs.com.br – A maior plataforma de Fundos Imobiliários .

Caso você tenha duvidas sobre avaliações de fundos imobiliários, a sua corretora de valores possui equipe e atendimento especializado para te auxiliar, podendo ajudar a encontrar os FIIs mais adequados ao seu perfil e objetivo.

 

Um forte abraço e bons investimentos!

 


Veja também:

 

Lembrou de algum amigo? Compartilhe este post.

Tipos de Fundos Imobiliários (FIIs)

Olá amigo do blog Brique Easy. Tudo bem com você? Veja quais os tipos de Fundos Imobiliários.

 

No mercado existem vários tipos de Fundos de Investimentos Imobiliários (FIIs), cada qual com seus ativos e estratégias. Eles são classificados em duas modalidades: Fundos de tijolo e fundos de papel.

 

  • Fundos de tijolo
    São os FIIs focados em ativos de empreendimentos físicos, como prédios, edifícios comerciais, shopping centers, hospitais, faculdades, centros de distribuição, galpões logísticos, etc. A estratégia deste fundo é investir na aquisição, construção e receber aluguel de imóveis. O fundo recebe uma renda mensal de aluguel para ser distribuída a seus cotistas, após deduzir as despesas e impostos.
  • Fundos de papel
    São os FIIs focados em investir nos títulos financeiros vinculados ao mercado imobiliário, como CRI e LCI, cotas de outros fundos, etc.
    A renda do fundo vem dos juros e dividendos pagos por estes titulos, ou na venda deles. Assim, o fundo continua investindo, garantindo uma boa rentabilidade ao cotista.
    Não existe qual o melhor ou pior tipo de FIIs. Tudo depende da estratégia e gestão de cada um.
    Quer saber mais sobre Fundos de Investimentos Imobiliários? Então fique atento ao próximo post.

 

Aprenda mais sobre Fundos Imobiliários e tenha Sucesso!

Até o próximo post.

Um forte abraço e bons investimentos.

 


Veja também:


 

Compartilhe.

O que é Tesouro Direto

Olá amigo do blog Brique Easy. Tesouro Direto, entenda o investimento mais seguro do mercado.

 

O Tesouro Direto é um programa do governo federal para investimento em títulos públicos.

 

Considerado um investimento conservador, visto que os riscos (calote) são baixos, o Tesouro Direto é uma opção de investimento em renda fixa.

 

O valor mínimo de aplicação é R$ 30,00. Os títulos são divididos em três categorias principais:

Tesouro IPCA+ (NTN-B): rentabilidade vinculada ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).
Tesouro Prefixado (LTN): rentabilidade definida no momento da compra do título.
Tesouro Selic (LFT): rentabilidade diária vinculada à taxa Selic.

 

As aplicações podem ser feitas no próprio site do Tesouro Nacional, via cadastro do usuário. Então, basta o investidor abrir uma conta em uma corretora para intermediar as transações.

O pregão do Tesouro Direto funciona das 9h30 às 18h.

 

Um forte abraço e bons investimentos.

 


Leia também:

investir com segurança

perfil do investidor

abrir conta em uma corretora

investir através de corretora ou banco


 

Compartilhe.

Independência financeira

Olá amigo do blog Brique Easy. Independência financeira, este é o nosso objetivo. Entre comigo nesta jornada.

O caminho é longo, força de vontade, foco, entusiasmo e sede de saber serão seus aliados e certamente os frutos a serem colhidos serão doces…

 

Os três alicerces para a independência financeira são: gastar bem, investir melhor e ganhar mais.

Não existe sucesso sem sacrifícios. Não existe mágica nem atalhos. A perseverança, foco, atitude, honestidade e estudo devem fazer parte da sua bagagem nesta longa jornada. Não espere o amanhã, comece agora.

 

Fique ligado no blog Brique Easy….

 

Um forte abraço.

 


Leia também:

abrir conta em uma corretora

perfil do investidor

corretora ou banco

tesouro direto


 

Lembrou de algum amigo? Compartilhe.

pt_BRPortuguese
en_GBEnglish pt_BRPortuguese