Arquivar abril 2019

Valuation e Indicadores – Parte 1

 

 

Olá amigos do blog Brique Easy.

Começando esta série de posts sobre Valuation e Indicadores, vou apresentar alguns conceitos e opiniões a respeito do assunto, visando ajuda-lo no momento da escolha de suas ações.

Sem mais delongas, vamos ao que interessa.

 

  • O que é Valuation?

De maneira simplificada, Valuation é uma forma de determinar o valor de alguma coisa.

Em se tratando de ações, Valuation são técnicas que tem como objetivo determinar o valor real de uma ação, que pode ser diferente do preço de mercado.

É através do Valuation que você pode comparar o valor com o preço oferecido e determinar se a ação está caro ou não.

O método mais famoso de avaliação de uma empresa é o Fluxo de Caixa Descontado.

A idéia principal deste método é determinar o valor da empresa através da sua capacidade de gerar lucros para seus sócios no futuro.

Em resumo, o Valuation de uma empresa é determinado com base na projeção de lucros e caixa.

 

Embora os indicadores não ajudam a determinar o Valuation de uma empresa, vou comentar sobre um que acho importante para auxiliar numa primeira análise, ajudando a indicar se uma ação está barato.

Este indicador é o Preço pelo Valor Patrimonial por Ação ou :  P / VPA

 

  • Relembrando alguns conceitos

Valor Patrimonial por Ação = Patrimônio Liquido por Ação.

Patrimônio Liquido de uma empresa = Capital dos Acionistas.

Ativos de uma empresa = Estrutura necessária para produzir. São os recursos.

Passivos de uma empresa = Obrigações, ou seja a origem dos recursos (capital de terceiros) e Patrimônio Liquido (capital dos acionistas).

 

  • Determinando o Patrimônio Liquido por Ação

Para determinar o Patrimônio Liquido por Ação, apenas divida o Patrimônio Liquido pelo numero de ações da empresa. Simples assim.

 

  • Calculando   P / VPA

Agora você tem o Valor Patrimonial por Ação e também o Preço. Então é só calcular: P / VPA.

Se o P / VPA for menor que 1, indica que o preço da ação está com desconto, senão o preço está alto.

Bem, vamos a um exemplo para ilustrar:

Imagine uma empresa composta com 600 milhões de Ativo, 400 milhões de Passivo, 200 milhões de Patrimônio Liquido, 10 milhões de ações e preço da ação na bolsa igual a 10 reais.

Podemos calcular:

O Valor Patrimonial por Ação = 200/10 = 20 Reais

P / VPA = 10 / 20 = 0,5

Concluímos que o preço da ação está com desconto. Mas realmente está barato?

Acreditamos que sim. Mas vamos pensar, se a empresa resolve fechar as portas, ela vai vender seus ativos de 600 milhões e pagar suas obrigações, que são 400 milhões.

Irá sobrar 200 milhões, que é o patrimônio liquido, ou seja o dinheiro dos acionistas.

Dividindo os 200 milhões pelo numero de ações, teremos o valor de 20 Reais por ação, que é maior que os 10 reais pagos por ação. Mesmo a empresa fechando as portas, você não terá prejuízo, já que comprou a ação com desconto.

 

  • Mas não é tão fácil assim…

Sabemos que é difícil encontrar empresas com bons indicadores e ter P / VPA menor que 1, mas fique atento a este indicador na hora de escolher as suas ações para compra.

 

  • O investidor atento

Lembre-se de nunca selecionar empresas para compra apenas por indicadores, avalie os fundamentos da empresa, o setor de atuação e o tipo de negócio. Procure entender como é gerado o caixa e os lucros da empresa.

Atenção, pois indicadores mostram desempenho passado, o que não é garantia para o futuro.

 

Um forte abraço e até o próximo post.

 

Compartilhe comigo suas experiências e deixe sua opinião.

Envie para mim suas dúvidas ou sugestões para outros posts.

 


Leia também:


 

Lembrou de algum amigo? Compartilhe:

Não perca o controle financeiro da sua empresa

 

 

Olá amigo do blog Brique Easy. Não deixe de ler este artigo sobre o controle financeiro da sua empresa.

 

Muitas microempresas não chegam a dois anos de operação e fecham as portas devido a dificuldades financeiras.

O inicio é difícil, mas sem um bom planejamento é quase impossível sobreviver. Achar que tudo vai dar certo e não sentar para fazer as contas e planejar cada passo, é fracasso na certa. Afinal, com achismo ninguém ganha dinheiro.

Saber separar as contas pessoa física e pessoa jurídica é essencial e muitos empreendedores iniciantes não se dão conta disto e acabam se prejudicando.

A seguir, coloco algumas sugestões para você evitar o caos financeiro na sua empresa. Bem, vamos lá…

 

  • Escolher um bom Banco

Antes de decidir em qual banco abrir a conta para sua empresa, observe aquele que ofereça o melhor pacote de serviços com baixo custo e linhas de créditos com as menores taxas.

Além dos grande bancos, como Banco do Brasil, Itaú, Santander, Bradesco e outros, existem os sistemas de cooperativas, como o Sicoob e Sicredi e também os bancos digitais, como Neon e Inter.

Escolha qual entidade financeira é a mais adequada para a sua empresa e não a mais comoda para você.

 

  • Abrir Conta Pessoa Jurídica

Abrir uma conta bancária como pessoa jurídica e realizar as movimentações da empresa através desta conta garante que você não misture as finanças pessoais com o dinheiro da empresa.

 

  • Fixar Salário – Pró-Labore

Por mais que você seja dono ou sócio, considere-se sendo um colaborador, devendo portanto receber um salário pré-definido, chamado de pró-labore.

Sendo um colaborador, você não é dono do dinheiro da empresa. Isto evita a confusão de misturar as despesas pessoais com as da empresa, melhorando o controle financeiro.

 

  • Ter Capital de Giro

Muitos se esquecem que o retorno sobre o capital investido demora um certo tempo e que a empresa necessita de  tempo para maturar e engrenar.

No meio do caminho existem os compromissos como pagamento de fornecedores, impostos, salários e demais despesas.

São nestas horas que um bom planejamento contando com o capital de giro, garante a sobrevivência da empresa. Isto evita empréstimos desnecessários, rompimento de contratos, perda de lucratividade e degradação do controle financeiro.

 

  • Observar o Fluxo de Caixa

O fluxo de caixa detalhado, com registro claro das entradas e saídas de dinheiro, permite uma análise certa para negociação de prazos para pagamento de fornecedores, planejamento de investimentos, negociações de empréstimos e redução de despesas.

Você vai saber em que período do mês e do ano ocorrem as maiores e menores entradas de dinheiro no caixa e quando ocorrem as saídas de dinheiro para pagamento das obrigações, podendo com isto organizar melhor este fluxo.

 

  • Reserva de Emergência

Esteja preparado para situações inesperadas, mas de certa forma previsíveis, como queda de receita por sazonalidade ou redução do volume de negócios, calotes e inadimplências.

Nenhuma empresa está livre de passar por estes eventos. Tenha sempre uma reserva de capital ou senão procure crédito antes de ser surpreendido por uma crise.

É melhor negociar boas condições de crédito quando o cenário está positivo. Antecipe-se a estes possíveis eventos.

Um bom planejamento estratégico evita dores de cabeça no futuro.

 

  • Pagamento de Impostos

Esteja sempre atento aos pagamentos dos impostos que envolvem as atividades da sua empresa e não se esqueça da declaração do imposto de renda. Misturar as suas finanças pessoais com as da empresa nestas horas gera muita confusão. Toda empresa precisa ter balanço e demonstração de resultados. Procure um contador para auxilia-lo nesta atividade.

 

Compartilhe conosco a sua experiência e deixe a sua sugestão para novos artigos.

Qual assunto mais lhe interessa?

 


Leia também:

Empreendedorismo – Uma questão a ser abordada

O que é Liderança

Perfil do investidor

 


 

 

Gostou deste post? Deixe seu like e envie para um amigo

Construindo sua Carteira de Investimentos

 

Olá amigo do blog Brique Easy.

Agora você vai aprender o que é uma carteira de investimentos e como deve monta-la.

 

  • Carteira de Investimentos

A carteira de investimentos é o conjunto de aplicações, também conhecida como portfólio ou cesta de investimentos, que reúne todos os ativos financeiros onde seu dinheiro foi aplicado.

 

  • Composição da Carteira

A composição de uma carteira de investimentos vai variar de pessoa a pessoa, pois cada um tem perfil e objetivos diferentes, portanto não é sensato dizer que uma carteira será ideal para uma pessoa, se não estiver de acordo com seu perfil e objetivo.

Certamente como um bom investidor, tenha em mente que a construção da sua carteira de investimentos visará a redução dos riscos, proteção do seu patrimônio, aumento do potencial de ganhos e estratégia de crescimento.

 

  • Definir o seu objetivo

A primeira coisa que você deve fazer é definir o seu objetivo. Portanto, escreva em suas anotações este objetivo de forma clara e direta.

Você quer investir para realizar um sonho, como comprar uma casa, um carro ou realizar uma viagem especial,  ou ainda para ter a sua independência financeira, criar a sua aposentadoria ou outro objetivo qualquer? Defina isto.

Esta definição é importante pois ajudará você a manter o foco em seus investimentos e na rentabilidade da sua carteira.

 

  • Ter um Planejamento financeiro

Você precisa traçar o seu planejamento financeiro, saber  qual é a sua renda mensal, quanto gasta, quais são as despesas fixas e extraordinárias ao longo dos meses ou anos, eliminar as dívidas e qual será o valor minimo de aporte mensal para os seus investimentos.

Este planejamento ajudará na montagem da sua estratégia de investimento.

 

  • Entender o seu perfil

Como já comentei antes, no post “Perfil do Investidor“, você primeiramente precisa definir  e entender o seu perfil para mapear os tipos de investimentos mais adequados para você. Assim você terá uma carteira personalizada e equilibrada, com os ativos ideais para o seu perfil e objetivo.

 

  • Definir a sua estratégia

Definir a sua estratégia é fundamental para o sucesso da sua carteira.

Você terá que observar os quatro pilares da sua carteira: Objetivo, Prazo, Capital e Risco.

Sendo então:

Objetivo: É a finalidade do investimento.

Prazo: O tempo em que o dinheiro ficará investido.

Risco: O perfil do investidor definirá o nível de risco dos ativos da carteira.

Capital: É o montante a ser investido.

 

Para montar a sua estratégia, você deve:

 

  • Definir o Perfil da sua Carteira

Com a definição do seu perfil de investidor, você automaticamente define o perfil da sua carteira. Assim você pode então descartar vários produtos que não correspondem a este perfil.

 

  • Definir a exposição aos riscos

A exposição da sua carteira aos riscos pode ser definida de acordo com o seu perfil, prazo e objetivo.

Quanto maior o prazo, maior poderá ser a exposição ao risco, até um certo limite de proteção de capital, definido na sua estratégia.

Isto porque você terá mais tempo para se recuperar caso alguma aplicação não dê o retorno esperado.

Para objetivos de médio a longo prazo, você pode definir a exposição da sua carteira até o limite de 30 a 40%.

Esta exposição aumentará as possibilidades do aumento de capital e caso ocorra eventuais perdas, você terá tempo de recuperação sem comprometer o restante do capital da sua carteira.

 

  • Realizar a composição da Carteira

A sua carteira de investimentos pode ser constituída de bens ou direitos. Os ativos tangíveis mais comuns são os imóveis e os intangíveis são os títulos mobiliários ações de empresas, fundos de investimentos, títulos públicos, etc.

 

  • Fazer a seleção de Produtos

Uma boa estratégia é a diversificação dos ativos que irão compor a sua carteira. Considerando isto, agora basta selecionar cada ativo de acordo com a porcentagem estabelecida dentro da carteira, comparando custo, rentabilidade, prazo, risco, etc.

 

  • Não confunda Diversificação com Pulverização

Procure diversificar a sua carteira por setores da economia aos quais os ativos pertencem e dentro destes setores por ativos diferentes. Não deposite todos seus ovos numa unica cesta.

Mas não exagere. Não é a quantidade  de ativos que irá garantir a boa performance da sua carteira, e sim a qualidade destes ativos.

 

  • Revisão da sua Carteira

Não se esqueça de realizar uma revisão da sua carteira, no mínimo uma vez por ano, afim de avaliar se os resultados obtidos estão de acordo com o esperado.

Caso não esteja, é o momento de realizar mudanças nos ativos e reavaliar a exposição da sua carteira.

 

  • Lembre-se

A sua carteira de investimentos deve refletir a sua situação e as suas perspectivas. Uma boa carteira não pode causar nem ansiedade nem desconforto para você.

 

Um forte abraço e bons investimentos.

 


Leia também:

Investir com segurança

Abrir conta em uma corretora

Investir através de corretora ou banco?

Perfil do Investidor

Investindo em Fundos de Investimentos Imobiliários (FIIs)


 

Se você tem alguma dúvida ou quer saber mais sobre este ou outro assunto, envie uma mensagem para mim logo abaixo.

 

Curtiu este post? Compartilhe com um amigo.

Investir com segurança

 

Oi amigo do Blog Brique Easy. Estou feliz em poder compartilhar com você mais este post.

Existem certas Garantias e Segurança no mercado financeiro que trazem tranquilidade para os investidores, principalmente aqueles com perfil conservador.

Vou mostrar a seguir alguns deles.

 

  • FGC – Fundo Garantidor de Crédito 

O FGC é uma entidade sem fins lucrativos e não governamental que tem como objetivo manter a organização e a estabilidade do sistema financeiro nacional. É formado por associação das instituições financeiras e oferece aos investidores e correntistas uma proteção do capital investido até o limite de 250 mil Reais por CNPJ, limitado a  1 milhão de Reais por CPF.

 

Quem participa do FGC?

Fazem parte deste fundo os bancos, corretoras, associações de poupança, companhias hipotecárias, sociedades de crédito, instituições de financiamentos e investimentos.

 

Como funciona o FGC?

Para você investidor, o FGC é uma garantia de proteção ao seu dinheiro investido, estando protegido dos riscos externos. Caso a instituição financeira que você fez aplicações declarar falência, você consegue recuperar o seu dinheiro até o limite estabelecido.

Portanto, se você tiver mais de uma aplicação na mesma instituição, a garantia de cobertura será válida para a soma destas aplicações e não para cada uma delas.

 

Quais são as aplicações que estão cobertas pelo FGC?

O FGC cobre as aplicações de títulos disponíveis nos bancos e corretoras, como a poupança, CDBs, LCAs, LCIs e LCs.

 

Quais são as aplicações que não estão cobertas pelo FGC?

Os títulos de créditos privados como CRA (Certificados de Recebíveis do Agronegócio), CRI (Certificados de Recebíveis Imobiliário) e Debêntures, não são cobertos pelo FGC.

 

Como acontece o ressarcimento do seu dinheiro?

Acontece quando o Banco Central realiza intervenção ou liquidação da instituição financeira em que você aplicou seu dinheiro. São emitidos documentos, como o Termo de Concessão de Crédito, para que seu dinheiro seja depositado.

 

  • Aplicações com Garantia de Segurança

Algumas aplicações embora não sejam cobertas pelo FGC, possuem garantia e segurança, como é o caso do Tesouro Direto, que são os títulos do Tesouro Nacional , que possuem  a garantia e segurança do Governo Federal, que é o órgão máximo, e da Letra Financeira (LF), que depende da solidez das instituições financeiras emissoras.

 

É comum as pessoas acreditarem que estão investindo com segurança colocando seu dinheiro na poupança, mas na verdade elas estão apenas guardando o dinheiro, visto que a rentabilidade da poupança é muito baixa. Existem outras maneiras de garantir um bom rendimento do seu dinheiro com baixo risco e acredite, poupança é coisa do passado.

 

  • Investindo com Segurança

Se você é um poupador, que está acostumado com a comodidade e baixo risco da poupança, e pensou em investir seu dinheiro de forma segura, sem correr riscos, verá então que vale mais a pena investir no Tesouro Direto ou em CDB, que possuem rentabilidade mais atrativas que a poupança.

 

Como você pode ver, se o seu perfil é conservador e você está iniciando a sua jornada no mundo dos investimentos, escolha bem onde aplicar o seu dinheiro, avaliando os fatores de risco, as garantias envolvidas e a rentabilidade.

 

Mais uma coisa importante, não se esqueça de avançar na sua educação financeira. Procure sempre informações de qualidade que possam ajudar na sua escalada…Um abraço e bons investimentos.

 


Leia Também:


 

 

Gostou deste post? Compartilhe com um amigo:

Abrir conta em uma corretora

Oi amigo investidor, tudo Easy?

Como prometi no ultimo post, vou comentar sobre abertura de conta em uma corretora. E você verá que é mais simples do que você imagina. Bem, vamos lá…

 

  • Corretoras de Valores Mobiliários

As corretoras de valores são empresas que fazem a intermediação de compra e venda de ativos nas bolsas de valores e também de demais títulos financeiros. É através de uma corretora que você vai operar no mercado financeiro e realizar seus investimentos de forma descomplicada.

 

  • Abrindo uma conta para investir

Para você abrir uma conta em uma corretora é muito simples e fácil. Você realiza o seu cadastro online de forma rápida e prática.

 

Será solicitado seus dados pessoais, alguns documentos, situação profissional, renda e o mais importante, o seu perfil de investidor , que será analisado através de um teste rápido respondendo algumas perguntas.

Após este processo, o seu cadastro poderá levar algumas horas ou dias para ser aprovado. A partir daí você poderá realizar as operações de investimentos disponíveis na plataforma da corretora e contar com o suporte de especialistas.

 

  • Qual corretora escolher?

Agora você deve estar com uma dúvida. Qual corretora eu devo escolher?

 

  • Avaliação de Qualidade

Para isto você deve buscar algumas informações importantes que irão ajudar nesta escolha, como a reputação da corretora, número de clientes e avaliações dos clientes atuais, que podem ser encontradas em alguns sites como o www.reclameaqui.com.br .

O tempo de atuação da corretora no mercado e sua reputação é o primeiro passo para a escolha. Mas também você terá que avaliar as taxas cobradas pela corretora, pois você paga pelos serviços envolvidos nas operações de compra e venda de ativos.

 

  • Avaliação de Custos

Algumas corretoras isentam seus clientes das taxas em algumas operações, por isto vale observar as que oferecem este benefício e também possuem taxas reduzidas.

Nas corretoras você não paga taxa de manutenção de conta como nos bancos, apenas para os serviços de compra e venda de ativos, que são menores que as cobradas pelos bancos.

 

  • Avaliação de Acessibilidade e Funcionalidade

Avalie também a funcionalidade da plataforma oferecida pela corretora. Observe se o aplicativo é bom e atende as suas necessidades, se o site é estável, o acesso é rápido, seguro e quais produtos estão disponíveis na plataforma.

 

  • Conta Aberta, mãos a obra…

Lembre-se que você terá que ter e informar no seu cadastro na corretora uma conta corrente em algum banco, para que possa fazer as transferências de valores para aplicação e resgate.

 

Antes de começar a investir, você vai precisar transferir dinheiro para sua conta na corretora, normalmente através de TED bancário, assim como os valores que você obtiver dos seus investimentos, poderão ser transferidos para sua conta bancária.

 

É simples a abertura de conta em uma corretora e a escolha também não é difícil. Dê o primeiro passo e você verá que não tem mistério. A cada dia você vai aprendendo um pouco mais como investir melhor o seu dinheiro.

 

Procure conhecer e aprender as funcionalidades da plataforma, do home broker, produtos disponíveis e no caso de dúvidas, entre em contato com a corretora antes de operar, não tenha pressa.

 

Se você quer saber quais são os riscos e garantias de investimentos, fique ligado no blog Brique Easy que vou trazer mais informações para você.

 

Um forte abraço e bons investimentos.

 

 


Leia também:

 

Aprenda mais:

Vídeo: Prof. Vicente Guimarães – As melhores corretoras


 

Lembrou de algum amigo que precisa ler este conteúdo? Compartilhe:

Investir através de corretora ou banco?

Resultado de imagem para foto investimento

 

Olá amigo do blog Brique Easy.  Trouxe mais post para você.

Investir através do Banco ou Corretora de Valores?

Ainda para muitos é estranho e um mistério ter conta em uma corretora de valores, mas você vai ver como é a melhor opção para aplicar seu dinheiro através de uma corretora ao invés de operar com bancos.

 

Se você está interessado em investir bem seu dinheiro, você está no caminho certo lendo este artigo, buscando boas informações e aprimorando seu conhecimento no mundo dos investimentos.

 

Bem, vamos lá. Mas por que eu devo investir meu dinheiro através de uma corretora de valores e não pelo banco, que já possuo conta e meu gerente me oferece várias opções?

Primeiramente as corretoras de valores oferecem acesso a uma série de aplicações financeiras que vão além das oferecidas pelos bancos. Isto acaba trazendo mais oportunidades para quem opera através de corretoras, pois elas oferecem diversos produtos de vários agentes financeiros disponíveis no mercado, ao passo que os bancos oferecem apenas os seus próprios produtos.

 

Nas corretoras você encontra boas oportunidades de investimentos, de acordo com seu perfil, bolso e gosto, principalmente para quem quer investir com pouco dinheiro.

 

Os bancos não oferecem bom rendimento para seus investimentos, pois as taxas de rentabilidade são menores e os custos de operação maiores. Além do seu dinheiro render menos, você acaba arcando com taxas elevadas, que reduz ainda mais os seus ganhos. Um dos motivos é porque os bancos possuem uma estrutura muito grande, operando preferencialmente com agências físicas elevando muito os seus custos com esta estrutura. Já as corretoras possuem uma estrutura enxuta e normalmente operam online, diminuindo os custos associados às aplicações, portanto elas podem operar com taxas bem reduzidas e inclusive oferecer ativos sem qualquer custo.

 

As corretoras possuem equipes especializadas em investimentos e você pode contar com esta assessoria. Além de vários serviços, como mini cursos, carteiras recomendadas, blogs, sala de aprendizado, etc.

 

Você deve escolher uma boa corretora de valores, que esteja autorizada pelo Banco Central, B3 (Bolsa de Valores) e os demais órgãos regulamentadores, além de ter um bom tempo de atuação no mercado. No link abaixo você pode pesquisar as corretoras listadas na bolsa de valores.

 

Lista de Corretoras de Valores – BMF-Bovespa

 

Você também pode acessar o ranking das melhores corretoras através do link a seguir:

https://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/as-melhores-corretoras-para-investir-em-acoes-via-home-broker/

 

Vale lembrar da importância na diversificação da sua carteira de investimentos, a qual deve ser composta de ativos de acordo com sua estratégia e tolerância aos riscos. O seu gerente no banco, apesar de saber disso, está mais preocupado em atingir as suas metas mensais de venda, não se importando com a sua estratégia, empurrando para você investimentos que mais convém a ele.  Você terá mais chances de montar uma boa carteira, alinhada com sua estratégia, através de uma corretora.

 

Junte-se ao nosso mundo de investimentos. Invista seu dinheiro com inteligência.

Sim, você está no caminho certo. Procure sempre aprender mais….esteja sempre um passo a frente!

 

Quer saber como abrir conta em uma corretora? No próximo post eu vou mostrar para você.

 

Um forte abraço e bons investimentos.

 


Leia também:


 

Gostou deste conteúdo? Deixe seus comentários e compartilhe conosco sua experiência.

Compartilhe também com seus amigos.

pt_BRPortuguese
en_GBEnglish pt_BRPortuguese