Arquivar março 2019

Perfil do Investidor

Você já fez a sua análise de perfil como investidor?

 

Você precisa fazer esta análise para definir o seu perfil e com esta análise mapear os tipos de investimentos mais adequados para você.

 

Você pode se enquadrar num perfil conservador, moderado ou agressivo e existe uma gama de investimentos que se encaixam em cada um destes perfis.

 

E assim, definimos cada perfil de acordo com a exposição aos riscos inerentes ao mercado financeiro. Veja a seguir:

 

  • Perfil Conservador: Busca o máximo de segurança, mesmo que isto signifique menor retorno. Prefere investimentos em renda fixa e tem aversão a renda variável.
  • Perfil Moderado: É o meio termo, busca melhor equilíbrio entre segurança, liquidez e rentabilidade. Prefere mesclar sua carteira com investimentos em renda fixa e variável.
  • Perfil Agressivo: Procura a maior rentabilidade possível, avalia e gerencia os riscos, aceita rentabilidades negativas no curto e médio prazo para ter retorno superior ao da renda fixa no longo prazo. Prefere investimentos de renda variável.

 

Eu listei a seguir alguns tipos de investimentos de acordo com cada tipo de perfil.

 

  • Perfil Conservador

CDB – Certificado de Depósito Bancário

Indicado para investidores que querem liquidez diária ou que desejam investir para objetivos de curto prazo.

Tesouro Direto

Indicado para investidores que querem liquidez diária com o Tesouro Selic (LTF) ou para investidores de longo prazo que pretendem ficar com os titulos até o vencimento ( Tesouro IPCA, Tesouro pré-fixado).

 

Fundos de Renda Fixa Conservadora

Também indicado para investidores que querem liquidez diária ou desejam investir para objetivos de curto prazo.

 

LCI – Letra de Crédito Imobiliário e LCA – Letra de Crédito do Agronegócio

As LCIs e LCas são indicadas para investidores com objetivos de curto e médio prazo. Elas só tem liquidez no vencimento e não ocorrem antes de 90 dias de aplicação.

 

  • Perfil Moderado

Investimentos em Renda Fixa, como os citados para o perfil conservador.

Fundos Multi Mercado – São fundos que mesclam aplicações de vários mercados, como renda fixa, ações, câmbio, etc.

Debentures – Títulos de dívida privada

As Debêntures, ou titulos de divida de empresa privada, são indicadas para investidores que necessitam de liquidez no médio ou longo prazo, que não querem se expor tanto a volatilidade do mercado de renda variável.

 

  • Perfil Agressivo ou Arrojado

Os investimentos mais comuns para este tipo de perfil são os Fundos de Ações e Ações, propriamente dito, desde ações de empresas nacionais à ações de start ups estrangeiras, Fundos Imobiliários, embora não tenham tanta volatilidade quanto as ações.

Se enquadram neste perfil todos os tipos de investimentos em Renda Variável. Existem também alguns investimentos classificados como conservadores, mas que dependendo do momento econômico, se tornam agressivos.

 

E então, já tem ideia de qual é o seu perfil?

Você pode fazer uma avaliação do seu perfil como investidor em alguns sites da internet ou no site da sua corretora.

 

Deixe o seu comentário ou a sua dúvida que irei responder.

Se você tiver alguma sugestão para novos posts, envie para mim.

Um grande abraço e bons investimentos!

 


Leia Também:

Investir com segurança

Abrir conta em uma corretora

Corretora ou Banco

FIIs


 

Gostou deste post? Compartilhe com seus amigos.

Ações ON e PN

Olá amigos do blog Brique Easy.

Você sabe qual a diferença entre ações ON ou PN? Não? Então vamos lá…

 

Normalmente existem dois tipos de ações, as ordinárias e as preferenciais. A seguir, vamos conhecer a diferença entre elas.

 

  • Ações ordinárias

As ações ordinárias, também chamadas de ações ON, dão direito a voto nas assembleias da empresa, permitindo ao acionista uma maior participação nos rumos da empresa.

Mas no caso de pequenos acionistas, como por exemplo se você tiver apenas a detenção de um lote de 100 ações ON, seu voto será irrelevante.

Entretanto, mesmo sendo um acionista minoritário com ações ON, você terá um beneficio a mais, o chamado “tag along”.

O “tag along” ocorre quando há mudança no controle acionário da empresa, Então, companhia que está comprando a parte pertencente ao controlador é obrigada a fazer uma oferta pública de aquisição das ações ordinárias pertencente aos minoritários de no mínimo 80% do valor pago pela aquisição das ações do grupo controlador.

Esta é uma forma de proteger os acionistas minoritários. Por isto, em caso de mudança de controle acionário da empresa, as ações ON se valorizam muito mais que as ações PN.

Em alguns casos, o “tag along” também pode se estender para as ações PN, mas isto vai depender do estatuto de cada empresa.

 

  • Ações Preferenciais

As ações preferenciais, também chamadas de ações PN, tem restrição total ou limitada nas assembleias da empresa.

Porém, os acionistas com ações PN tem a preferência para receber a parte correspondente na divisão do lucro e dividendos distribuído pela empresa.

Assim os acionistas das ações PN tem a preferencia de receber antes dos detentores das ações ordinárias.

Pela lei, os investidores que possuem ações PN têm direito a receber dividendos no mínimo dez por cento maiores do que o valor por ação ON.

As ações preferenciais também podem ser divididas por classes A, B, C e D, levando as siglas PNA, PNB, PNC e PND.

 

  • Código da Ação (Ticker)

Uma ação é negociada na bolsa de valores através de um código que representa a empresa.

Este código é representado por 4 letras maiúsculas seguida por um numero, que representa o tipo da ação.

Os principais tipos são:

3  – O número três representa as ações ordinárias. (ex.: PETR3 e ABEV3);

4 – O número quatro representa as ações preferenciais. (ex.: GGBR4 e ITUB4);

5 – O número cinco representa as ações preferenciais classe “A”. (ex.: USIM5);

6 – O número seis representa as ações preferenciais classe “B”. (ex.: ELET6);

11 – Não existe uma regra especifica para a ação negociada com o numero onze.

Normalmente o numero onze representa os recibos de ações de empresas estrangeiras negociadas na bolsa brasileira, conhecidos como “BDRs” (Brasilian Deposits Receipts).

Também pode representar as “Units” , que são ativos compostos por mais de um tipo de ação, assim como os fundos de índices, conhecidos como “ETFs” (Exchange Traded Funds).

O  BOVA11 é um fundo (ETF) que representa o índice Bovespa. Já o código TIET11  é composto por 1 ação ON e 4 ações PN.

 

  • Qual ação devo comprar? ON ou PN.

Dando preferência para comprar ações ON de uma empresa, você estará junto com o bloco controlador da empresa.

Mas observe as regras de governança corporativa da empresa, pois as vezes as ações PN tem o mesmo beneficio das ações ON e vice-versa.

 

Normalmente as ações PN possuem maior liquidez na bolsa de valores, comparando com as ações ON.

A liquidez das ações é um ponto importante a ser observado no momento de comprar.

Afinal, no futuro você pode precisar vender rapidamente parte ou todas as suas ações, caso queira mudar de posição.

 

Independente se as ações são ON ou PN, o mais importante é a empresa ter bons fundamentos, com boa rentabilidade e lucratividade, levando os preços das ações sempre num caminho evolutivo, aumentando com isto o seu patrimônio.

 

Por isto, escolha bem a empresa na hora de comprar ações e pense sempre que você está investindo a longo prazo, sendo a paciência a sua melhor aliada.

 

Deixe o seu comentário ou a sua dúvida, que irei te responder.

Se você tiver alguma sugestão para novos posts, envie para mim.

Um grande abraço e bons investimentos!

 


Leia também:


 

Gostou deste post? Compartilhe com seus amigos.

Investindo em Fundos de Investimentos Imobiliários (FIIs)

Para auxiliar a sua jornada nos investimentos em Fundos de Investimentos Imobiliários (FIIs) separei alguns pontos que devem ser estudados para escolha dos FIIs que irão compor a sua carteira.

Aqui apontei fatores relevantes como:

  • Segmento do FII.
  • Representação no Ifix.
  • Dividend Yeld.
  • Liquidez.
  • Preço.
  • Gestão do FII.
  • Taxa de vacância.
  • Vencimento dos contratos.
  • Origem da receita.
  • Quantidade e qualidade dos ativos.

 

  • Segmento do FII

Observe qual o segmento que pertence o Fundo Imobiliário. Procure primeiramente saber qual segmento o fundo imobiliário pertence, se é um Fundo de Tijolo, Fundo de Papel, Fundo de Fundos ou Fundo Híbrido. Assim você consegue direcionar os seus estudos de acordo com o segmento do fundo.

 

  • Representação no Ifix

Para ajudar na sua escolha, veja a representação do fundo imobiliário dentro do Ifix (Índice de Fundos de Investimentos imobiliários da Bolsa de Valores). Os Fundos Imobiliários presentes n Ifix são os de maior tamanho (considerando o patrimônio líquido) e liquidez.

 

  • Dividend Yeld

Analise o indicador Dividend Yield (DY), que são os dividendos pagos nos últimos 12 meses dividido pelo valor da cota do fundo. Já que o seu objetivo é ter uma renda passiva mensal, a análise deste indicador é muito importante. Sabemos que resultados passados não são garantia de resultados futuros. Porém, observar o histórico de pagamento de dividendos do Fundo Imobiliário e também da  constância e evolução do valor pago é bastante relevante para o investidor.

 

  • Liquidez do FII

Leve sempre em consideração a liquidez do fundo imobiliário, pois esta é uma das vantagens em investir em fundos imobiliários. Fundos que possuem baixa negociação na bolsa de valores, não são atrativos.

 

  • Preço da cota

Compare o indicador de preço da cota pelo valor patrimonial (P/VP). É um indicador importante para comparação com outros fundos imobiliários, principalmente de for um fundo de papel.

Avaliar o preço da cota é muito importante, embora muitos investidores de longo prazo não pensem assim, mas se você tem a oportunidade de pagar um valor com desconto, por que não considerar? E devemos entender que se o preço da cota esteja com valor justo, sem desconto e a avaliação dos outros fatores apontem para a compra, o investidor deve seguir com esta aquisição. Porém, se o valor da cota esteja além do preço justo, os outros fatores devem ser cuidadosamente avaliados antes de seguir com a aquisição do ativo para sua carteira.

 

  • Gestão do FII

Considere sempre o tipo de gestão do fundo imobiliário (ativa ou passiva). Na gestão passiva o gestor deve seguir as regras e determinações acordadas em assembléia dos cotistas. Já na gestão ativa o gestor, via regulamento, pode

comprar e vender os ativos dentro do portfólio. Neste caso, a “expertise” do gestor irá influenciar diretamente o resultado final do fundo imobiliário.Outro fator importante que influencia na performance do fundo imobiliário é a administração e gestão do fundo. Uma gestão competente, com transparência, rapidez na alocação de capital, boa comunicação com os cotistas e experiência no mercado, trará bons rendimentos para o fundo imobiliário. Procure sempre saber quem é o gestor do fundo e seu histórico.

 

  • Taxa de Vacância

Você deve avaliar a taxa de vacância dos ativos do fundo ao longo do tempo, pois este indicador influenciará no pagamento dos proventos. Ele mostra a área vaga de um empreendimento imobiliário em relação a sua área total disponível para alocação. Quanto menor a taxa de vacância, mais garantida é a receita completa do Fundo.

 

  • Vencimento dos contratos

O investidor deve sempre estar atento para as datas de vencimento dos contratos do fundo. Já que todo contrato possui um vencimento, o investidor deve observar quando ocorrerão estes vencimentos e o andamento da negociação do gestor na renovação ou aquisição de novos inquilinos e isto dependerá da habilidade e qualidade na gestão do fundo.

 

  • Origem da receita

Esteja sempre atento na geração de caixa do fundo e a origem da receita. Apenas olhar a distribuição dos proventos não trará conforto e segurança a longo prazo.

 

  • Quantidade e Qualidade dos ativos

A quantidade e qualidade dos ativos estão relacionadas ao risco deste fundo. Levando em conta o conceito de diversificação, o fundo que possui vários ativos e  vários inquilinos, possui menos risco que os demais fundos. Considerando também o fundo que possui ativos de qualidade, o risco também será baixo.

 

Investir em fundos imobiliários é uma experiência nova para muitos, que trás mais tranquilidade, facilidade e acessibilidade, comparando com os investimentos tradicionais em imóveis. Nem por isto é uma jornada fácil, onde o investidor deve sempre estar a procura de aprendizado e informações relevantes para que possa sempre tomar as melhores decisões.

 

Se quer saber mais sobre investimentos em fundos imobiliários, fique ligado no blog Brique Easy…buscamos sempre trazer informações para ajuda-lo.

Desejo a você bons negócios e ótimos investimentos….um forte abraço e até mais.

 

Leia também:

Como os Fundos Imobiliários funcionam

Como escolher um Fundo Imobiliario

Tipos de Fundos Imobiliarios

O que são Fundos Imobiliários?

 

Gostou deste conteúdo? Deixe seus comentários e compartilhe conosco suas experiências.

 

Lembrou de algum amigo? Compartilhe com ele.

pt_BRPortuguese
en_GBEnglish pt_BRPortuguese