Arquivar dezembro 2018

Poupar para viajar

Existem várias formas de empreender, e uma delas é viajar.

Início de ano é sempre uma época de novos boletos, vários outros objetivos financeiros e gastos programados. Mas também é um ótimo momento para planejar viagens. Isso porque ainda tem um ano inteiro para economizar e fazer aquela viagem a um lugar que você sempre sonhou.

Você pode até ter certa dificuldade em guardar dinheiro, mas saiba que com planejamento, organização e um pouco de disciplina, é possível iniciar um plano, economizando a partir de R$ 5 por semana. Veja como:

Desafio de 52 semanas

Nós sabemos que nem sempre é fácil criar uma reserva de dinheiro. Mas se você reservar uma quantia por semana, seguindo as regras desse desafio, no final, poderá ter acumulado a quantia de R$ 6.890. Que tal?

Como funciona:
O desafio funciona assim: Na primeira semana, você reserva R$ 5,00, aumentando para R$ 10 na segunda semana, para R$ 15 na terceira semana e assim por diante. O resultado pode até demorar um pouco, mas em suaves prestações, você nem vai notar. E quando perceber, um ano terá se passado e você terá uma boa grana para viajar e concretizar o seu sonho.

E com esse dinheiro, será possível você se programar para viajar e conhecer vários lugares.
Conheça abaixo a planilha de valores que você terá que poupar ao longo dessas 52 semanas.

Ah, se você gostou dessa dica, compartilhe com as pessoas que também querem colocar a mochila nas costas e viajar por este mundão a fora.

 

Quais os cuidados para investir em Debêntures?

Olá amigo do blog Brique Easy. Eu trouxe para você mais este post sobre investir em debênture. Então vamos lá…

 

Antes de investir em debêntures, você deve requisitar o Prospecto para a instituição que faz a intermediação da compra do titulo.

 

Leia o prospecto tomando atenção para os itens de:

Fatores de risco: é onde são apresentados os riscos mais importantes aos quais o debenturista estará exposto.
Análise da Administração sobre as demonstrações financeiras: é onde você encontra uma análise qualitativa sobre a situação financeira e sobre o resultado das operações, descritas pela diretoria da empresa.
Escritura de Emissão: é onde está descrito os direitos conferidos pelas debentures e suas garantias, se houver.
Relatório de classificação de risco: é o documento elaborado por empresas de classificação de risco, que avaliam o grau de risco da empresa e sua capacidade de honrar com as obrigações assumidas das debêntures.

 

Quais os riscos de investir em Debêntures?

O principal é o risco de crédito, ou seja, de tomar um calote da empresa emissora dos títulos.
Normalmente, quanto maior o rendimento da debênture, maior é o risco de crédito da empresa emissora. Os juros que a empresa está disposta a pagar pelo capital tomado têm uma relação íntima com os riscos da operação.

Outro fator que deve ser considerado são os riscos de mercado, onde as oscilações das taxas de juros e da inflação pode tornar os títulos ora mais atrativos, ora menos atrativo, influenciando seus preços no mercado.

Sendo as debêntures um ativo menos líquido que as ações, o investidor deverá ficar atendo às condições de mercado, quando desejar vende-las antecipadamente, saindo do investimento antes do vencimento.

Uma debênture tem um prazo de vencimento que geralmente é de alguns anos, o que varia de título para título. É possível vender o titulo de forma antecipada no chamado mercado secundário (Bolsa de Valores), mas seus preços são “marcados a mercado”, ou seja, variam de acordo com as expectativas do mercado, sofrendo ágio ou deságio com o resgate antecipado.

 

E quais as garantias de investir em Debêntures?

As debêntures não contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC). Então o que garante que a empresa vai devolver o valor que tomou emprestado mais os rendimentos acordados?

Bem, existem quatro tipos de garantia fornecida pela empresa emissora de debêntures:

  1. A garantia real: a empresa coloca bens ou ativos como garantia e esses bens não podem ser negociados.
  2. A garantia flutuante: a empresa coloca bens ou ativos como garantia, porém eles podem ser negociados.
  3. A garantia quirografária: não exite a garantia a partir de bens nem qualquer outro privilégio.
  4. A garantia subordinada: também não existe bens que garantam a aplicação, mas em caso de liquidação da empresa, as garantias quirografárias precedem as subordinadas.

 

Gostou deste Post? Não perca os próximos. Fique ligado no Blog Brique Easy!

 

Um forte Abraço e bons investimentos!

 


Veja também:


 

Compartilhe com um amigo.

Como investir em Debêntures?

Olá amigo do blog Brique Easy.

Se você já sabe o que é uma debênture, então continue lendo para saber como investir.

 

As debêntures podem ser negociadas na B3 (BM&F-BOVESPA) e você encontra as opções de compra de debêntures nas corretoras de valores, que fazem a intermediação da operação de compra e venda.

 

  • Qual o custo para investir em Debêntures?
    O custo cobrado para investir em debêntures é na forma de taxas de intermediação e de custódia cobradas pela corretora intermediadora, mas atualmente, as principais corretoras independentes não cobram mais essas taxas.

Porém a regra de cobrança de Imposto de Renda é a mesma usada nas outras aplicações em renda fixa. A alíquota incide apenas sobre o rendimento e não sobre o capital investido e segue a tabela regressiva:

até 180 dias………………..22,50%
de 180 a 360 dias……….20,0%
de 361 a 720 dias……….17,5%
acima de 720 dias……….15,0%

Entretanto, algumas debêntures são isentas de Imposto de Renda. São as chamadas debêntures incentivadas.

As Debêntures incentivadas são emitidas por empresas do setor de infraestrutura e o governo isenta o Imposto de Renda sobre estas debentures, afim de incetivar a captação de recursos para estas empresas.

 

  • Quais as vantagens de investir em Debêntures?
  1. Isenção de Imposto de Renda: é possível aplicar em debêntures incentivadas, isentas de IR.
  2. Rentabilidade atrativa: os rendimentos podem ser mais interessantes que nas aplicações tradicionais de renda fixa.
  3. Diversificação: são uma alternativa interessante na diversificação da sua carteira de investimentos.

 

  • O que podemos observar como desvantagens?
  1. Risco de crédito: não existe a garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC).
  2. Prazos longos de vencimento: muitas debêntures acabam tendo prazos de vencimento muito longos, o que prejudica a liquidez e aumenta o risco da aplicação.
  3. Risco de mercado: em casos de resgate ou venda antecipada, você pode estar em momentos ruins do mercado e perder dinheiro.

 

Quer aprender mais? Fique ligado no blog Brique Easy.

 

Um forte abraço e bons investimentos!

 


Veja também:

 

Lembrou de alguém que precisa ler este post? Compartilhe.

Quais os tipos de Debêntures?

Olá amigo do blog Brique Easy. Aprenda quais os tipos de debêntures e faça o investimento certo.

 

Uma debênture pode ser classificada em dois tipos, quanto ao seu registro: Debêntures nominativas e Debêntures escriturais.

  • As Debentures nominativas são emitidas em nome do investidor inicial. Tanto o registro quanto o controle de transferências da debênture é feito em livro próprio da companhia emissora.
  • As Debentures Escriturais também possuem seu registro e controle de transferências feitos pela companhia, mas o título em si é guardado em uma conta de custódia no nome do investidor por meio de uma instituição financeira, geralmente uma corretora de valores.

 

Quanto a forma de pagamento dos juros, as debentures são classificadas em Debêntures conversíveis, Debêntures simples e Debentures permutáveis.

  • As Debêntures conversíveis podem ser convertidas em ações da própria companhia ao final do período estabelecido no título ou em algum outro prazo estabelecido pela companhia.
  • As Debêntures simples não possui o benefício da conversão em ações, servindo apenas ao propósito de financiamento da empresa emissora.
  • As Debêntures permutáveis são semelhantes as debêntures conversíveis, mas com a diferença de que podem ser convertidas em ações de outra companhia, não necessariamente da companhia emissora da debênture.

 

Quanto ao rendimento, as Debêntures podem ser de três tipos: Debêntures pós-fixadas, Debêntures pré-fixadas e Debêntures hibridas.

  • As Debêntures pós-fixadas tem seu rendimento atrelado a algum tipo de indicador, normalmente o CDI ou a taxa Selic. Por serem pós-fixados, o debenturista não sabe exatamente o quanto a debênture irá render, pois vai depender de como estará o indicador no vencimento do titulo.
  • As Debêntures pré-fixadas tem seu rendimento acordado no momento da emissão do titulo. Por serem pré-fixadas, o debenturista saberá exatamente o quanto a debênture irá render.
  • As Debêntures hibridas são ao mesmo tempo pós e pré-fixadas. Sendo mais comum que tenham uma taxa pré-fixada mais a correção por um indicador pós-fixado, como o IPCA.

 

Um forte abraço, até o próximo post e bons investimentos.

 


Veja também:

 


Deixe seus comentários.

Lembrou de alguém que precisa ler este post? Compartilhe.

O que é uma Debênture?

Olá amigo do blog Brique Easy. O que é uma debênture? Quer saber? Eu vou lhe dizer…

 

Debênture é um título de crédito privado ao portador que representa uma dívida, a juros, garantida pelo patrimônio do emitente, sendo um obrigação ao portador.

Em outras palavras, uma debenture nada mais é que um título de dívida de uma empresa privada. Quem investe em uma debênture se torna um credor da empresa que emitiu o título, financiando suas operações em troca do pagamento de juros sobre o valor do título.

 

As debêntures são aplicações de renda fixa. Da mesma forma que podemos investir em títulos públicos como o Tesouro Direto, emprestando dinheiro para o governo e recebendo juros sobre este empréstimo, podemos investir em títulos do setor privado, que são as debentures, sendo um empréstimo
para uma empresa privada e recebendo juros sobre este empréstimo.

 

As empresas emitem debêntures no mercado de capitais a fim de captar recursos de terceiros para garantir dinheiro em caixa ou financiar os seus projetos e crescimento de suas operações.

 

Os debenturistas são credores da empresa e recebem juros periódicos e pagamento do montante principal, no vencimento do titulo ou mediante amortizações nas quais se paga parte do montante antes do vencimento, conforme estipulado no contrato chamado Escritura de Emissão, onde são especificados os direitos e deveres do debenturista e da emissora.

 

Espero você no próximo post.

Continue aprendendo com nossos posts no blog Brique Easy e bons investimentos.

Um forte abraço.

 


Veja também:


 

Compartilhe.

Como os Fundos Imobiliários funcionam (FIIs)

Olá amigo do blog Brique Easy. Entenda os Fundos Imobiliários e como eles funcionam.

 

  • Como funciona um Fundo Imobiliário

Primeiramente, a instituição financeira responsável pela gestão do FII precisa apresentar ao mercado vários documentos constando as diretrizes gerais do fundo e sua politica de investimentos.

Com isto, é realizada a oferta primária do FII, onde as cotas limitadas do fundo são emitidas e apresentadas ao mercado pela primeira vez. Os investidores que tiverem interesse, podem comprar a quantidade de cotas desejadas fazendo parte dos primeiros cotistas deste fundo.

Com o capital arrecadado na oferta primária, o gestor do fundo começa a adquirir os ativos imobiliários, de acordo com a politica de investimento apresentada.

Com a abertura do fundo, este passa a ser identificado na bolsa de Valores por um código (ticker), sendo suas cotas negociadas no pregão da Bolsa da mesma forma que acontece com as ações de uma empresa.

Os cotistas podem então a negociar as cotas na Bolsa de Valores, com a intermediação de uma corretora de valores. Somente através de uma corretora é que uma pessoa poderá vender ou comprar suas cotas de FIIs.

 

  • A escolha do FII

O próximo passo, após definir a escolha do FII, é realizar a ordem de compra através da corretora, informando o código do FII, a quantidade de cotas e valor que você deseja pagar por cota, assim como acontece na compra de ações. A ordem segue para o mercado e havendo um cotista disposto a vender suas cotas por aquele valor, o negócio é fechado.

 

Se você tem interesse em investir em Fundos Imobiliários, escolha uma boa corretora de valores e abra uma conta, é fácil, rápido e não paga nada. Você vai ver como é muito fácil investir e ter uma renda mensal.

 

Um forte abraço e bons investimentos.

 


Veja também:


 

Gostou deste conteúdo? Deixe seus comentários e compartilhe conosco suas experiências.

 

Se você lembrou de um amigo, compartilhe.

6 Atitudes de pessoas de sucesso

Você já se perguntou porque algumas pessoas alcançam o sucesso e outras não?

Muitos podem pensar que é consequência de uma boa condição financeira e social, ou mesmo, pura sorte!
Mas o que realmente diferencia uma pessoa de sucesso das demais é simplesmente a sua forma de pensar e agir.

Por isso, separamos para você 6 atitudes de pessoas de sucesso que poderão lhe ajudar em sua jornada de Empreendedor.

1. Deixe seu coração lhe guiar
Primeiro, defina o que é sucesso para você. Depois, visualize como você quer sua vida daqui a 1 ano ou 5 anos. Pense como você quer a sua vida pessoal, profissional, financeira, e não se preocupe em como chegará lá. Permita-se sonhar e deixe apenas o seu coração lhe guiar.

2. Inspire-se
Inspire-se na trajetória de alguém que você admira. Agora que você sabe onde quer chegar, procure alguém que já tenha percorrido esse caminho e inspire-se para construir o seu.
Se for alguém próximo a você, converse e pergunte se gostaria de ser seu mentor. Mas se for alguém que você não tenha tanto contato, ou mesmo, uma personalidade distante, busque sua biografia na internet e nos livros. Essa pesquisa pode lhe poupar muito tempo e esforço para chegar onde deseja.

3. Estipule Metas
O primeiro passo para construir o caminho que deseja é pesquisar o que é necessário para chegar lá, e estipular metas e prazos. Comece pequeno, um pouco devagar, mas após definir essas metas, comece a agir imediatamente! Devagar e sempre!

4. Assuma a responsabilidade
Saiba que você é único responsável pelo seu sucesso. Por isso, assuma a responsabilidade das suas escolhas. Se ainda não conseguiu alcançar o sucesso esperado, não se preocupe! Aprenda com os erros e mude o que for necessário, mas não coloque os seus sonhos e objetivos nas mãos de outras pessoas. Seja dono do seu destino!

5. Tenha persistência
Esteja ciente que ao decidir empreender, você encontrará vários problemas e obstáculos pelo caminho. Por isso, mantenha-se firme e constante em seu objetivo, e tenha flexibilidade para mudar e ajustar o que for preciso. E segue o plano.

6 . Mantenha-se em constante aprendizado
A estrada do sucesso é um caminho e não um fim a ser alcançado. Por estar sempre em construção, é preciso manter-se sempre atualizado e em constante aprendizado. O Mundo não para, e se você parar, ele continuará girando. E você não vai querer ficar para trás, não é mesmo?

E aí, gostou dessas dicas?
Conta para gente aqui nos comentários.

Como escolher um fundo imobiliário (FIIs)

Olá amigo do blog Brique Easy. Se você se interessou por investimento em fundos imobiliários, não deixe de ler este e os outros posts sobre este tema.

 

Existe uma grande diversidade de FIIs no mercado disponíveis para você investir. Escolher o fundo certo, nem sempre é tão fácil, mas se você tiver paciência e estudar bem cada um deles, com certeza fará boas escolhas.

 

Você vai ter que analisar os ativos envolvidos no fundo, números e históricos de rentabilidade, verificar a solidez dos seus fundamentos e concluir se a gestão deste fundo é realmente boa. Parece trabalhoso, mas com um pouco de paciência e dedicação você vai ver que não é um bicho de sete cabeças.

 

Os indicadores mais importantes para avaliação de um Fundo de Investimento Imobiliário (FII) são:

  • Distribuições de rendimentos ( DY – Dividend Yeld).
  • Preço / Valor Patrimonial (P/VP).
  • Valor Patrimonial / Valor de mercado.
  • Segmento (Tijolo, papel, fofs, hibrido).
  • Liquidez.
  • Representação no IFIX.
  • Variação da cota.
  • Quantidade de ativos.
  • Vencimento dos contratos envolvidos no fundo.
  • Tipo de gestão (ativa ou passiva).
  • Fator gerador de renda.

 

O fator gerador de renda de um FII está ligado com seu segmento e pode ser os seguintes elementos:

  • Aluguel de imóveis – O rendimento é gerado através do aluguel do imóvel ou imóveis que compõem o fundo.
  • Arrendamento de imóveis – A remuneração para o fundo vem através do contrato de arrendamento do imóvel deste fundo.
  • Construção de imóveis – Os recursos de captação do fundo servirão para incorporação e construção dos imóveis para futura venda e remuneração.
  • Aquisição de títulos de renda fixa – tipico dos fundos de papéis, sendo através de aquisições de títulos e papéis atrelados ao mercado imobiliário, como LCIs e CRIs, gerando retornos mensais através dos juros.
  • Aquisição de cotas de outros fundos imobiliários – conhecidos como FOFs, os fundos de fundos, são fundos imobiliários que adquirem cotas de outros fundos imobiliários. Remuneram com o montante mensal gerado por esta carteira de fundos.

 

Aprenda mais sobre Fundos Imobiliários acompanhando nosso blog sobre investimentos.

Assista o canal do Prof. Baroni no youtube para aprender mais sobre fundos imobiliários.

e acesse também o site FIIs.com.br – A maior plataforma de Fundos Imobiliários .

Caso você tenha duvidas sobre avaliações de fundos imobiliários, a sua corretora de valores possui equipe e atendimento especializado para te auxiliar, podendo ajudar a encontrar os FIIs mais adequados ao seu perfil e objetivo.

 

Um forte abraço e bons investimentos!

 


Veja também:

 

Lembrou de algum amigo? Compartilhe este post.

Tipos de Fundos Imobiliários (FIIs)

Olá amigo do blog Brique Easy. Tudo bem com você? Veja quais os tipos de Fundos Imobiliários.

 

No mercado existem vários tipos de Fundos de Investimentos Imobiliários (FIIs), cada qual com seus ativos e estratégias. Eles são classificados em duas modalidades: Fundos de tijolo e fundos de papel.

 

  • Fundos de tijolo
    São os FIIs focados em ativos de empreendimentos físicos, como prédios, edifícios comerciais, shopping centers, hospitais, faculdades, centros de distribuição, galpões logísticos, etc. A estratégia deste fundo é investir na aquisição, construção e receber aluguel de imóveis. O fundo recebe uma renda mensal de aluguel para ser distribuída a seus cotistas, após deduzir as despesas e impostos.
  • Fundos de papel
    São os FIIs focados em investir nos títulos financeiros vinculados ao mercado imobiliário, como CRI e LCI, cotas de outros fundos, etc.
    A renda do fundo vem dos juros e dividendos pagos por estes titulos, ou na venda deles. Assim, o fundo continua investindo, garantindo uma boa rentabilidade ao cotista.
    Não existe qual o melhor ou pior tipo de FIIs. Tudo depende da estratégia e gestão de cada um.
    Quer saber mais sobre Fundos de Investimentos Imobiliários? Então fique atento ao próximo post.

 

Aprenda mais sobre Fundos Imobiliários e tenha Sucesso!

Até o próximo post.

Um forte abraço e bons investimentos.

 


Veja também:


 

Compartilhe.

O que são Fundos Imobiliários ( FIIs)

Olá amigo do blog Brique Easy.

Se você quer investir seu dinheiro de forma inteligente, não perca este e os demais posts sobre Fundos Imobiliários.

 

Investir em imóveis, seja para alugar ou vender, continua sendo a melhor opção para muitas pessoas que procuram rentabilidade e segurança na hora de aplicar seu dinheiro.

Mas será que esta é ainda uma boa opção?

Considerando o alto valor, custos, burocracias e baixa liquidez, este tipo de ativo não se torna tão atraente, mas a boa noticia é que existe uma forma mais fácil, prática e barata para investir neste setor. Sim, é através dos Fundos de Investimento Imobiliário (FIIs).

Os FIIs vem ganhando cada vez mais popularidade no mercado brasileiro. Descubra então o que são Fundos Imobiliários e é sobre isto que falaremos a seguir.

Em resumo, um Fundo imobiliário nada mais é que um grupo de pessoas que investem seu dinheiro em um fundo, através de cotas, sendo este administrado por um gestor competente, responsável por encontrar e realizar os investimentos mais interessantes, garantindo uma boa rentabilidade para o fundo.

Normalmente os ativos são os próprios empreendimentos imobiliários adquiridos, como prédios, edifícios comerciais, galpões, etc, mas também pode ser outros investimentos ligados a imóveis, como LCI (Letras de Crédito Imobiliário) ou CRI (Certificados de Recebíveis Imobiliários) ou até mesmo cotas de outros FIIs.
Os cotistas (investidores) recebem dividendos mensais, isentos de Imposto de Renda, oriundos dos aluguéis, juros ou venda de parte destes ativos.

você pode ser proprietário de vários imóveis, ou melhor de frações de vários imóveis de alto nível, sem se preocupar com as burocracias, custos e com melhor liquidez, boa rentabilidade, sem no entanto ter que aportar um valor alto para isto.

Traremos mais informações para você saber mais sobre Fundos Imobiliários. Fique atento!

 

Um forte abraço e bons investimentos!

 


Veja também:

 

Gostou deste post? Compartilhe.

pt_BRPortuguese
en_GBEnglish pt_BRPortuguese